HOME

CONTADOR DE ÁRVORES

PROJETOS

A IDÉIA
     Como surgiu a idéia
     Idealizador


SEMEAR IDÉIAS
     Porque plantar
     Entenda o que é
     Aquecimento Global


ÁRVORES
     Histórias
     Árvores Brasileiras
     Porte de Árvores
     Biomas
     Plantio
     Mudas
     Poda


LEGISLAÇÃO

COMO COLABORAR

DONATIVOS BRASIL

DONATION RAIN
FOREST


CARTILHA ESCOLAR

CURSOS

INPEP

FALE CONOSCO

     Dúvidas
     Sugestões

GRUPO DE ONZE VERDES

NOVA DIRETORIA DA ONG

COLABORADORA
INTERNACIONAL
JORNALISTA JUNIA TURRA


MARY FONTANEZZI
COLABORA COM
EVERGREENPLANET

ASSOCIE

 
 
 

PORQUE PLANTAR

 

10.000.000 de árvores?

Para controlar o aquecimento global:

. Plantar árvores amenizará os dramáticos efeitos do aquecimento global por meio da produçao de mais oxigenio e da absorçao do gás carbônico;

. Para controlar o aquecimento global:
As árvores sao ótimas aliadas contra o aquecimento global, pois fazem o que os especialistas chamam de seqüestro de dióxido de carbono (CO2), um dos gases responsáveis pelo efeito estufa. Ou seja: elas o "devoram", utilizam-no para se nutrir e, assim, diminuem a poluiçao do ar.
. Para melhorar a qualidade de vida, colaborando para despoluir os ares das cidades e reduzir a a a   temperatura média;

 

clique para ampliar
Foto da chaminé nervosa do Pólo Petroquímico de Capuava
(Grande ABC), Contreras josecontreras@globo.com
 


"Temos de agir agora. Se deixarmos para o futuro, reverter os efeitos do aquecimento global,
se tornará tao caro que a humanidade nao conseguirá manter o atual padrao de vida"
 (Connie Hedegaard)

. Para divulgar o valor das árvores, o que é uma forma de criar consciencia ecológica e responsabilidade
através da educaçao; ..
Os oceanos estao mais ácidos:

 
clique para ampliar
 


O excesso de CO2 na atmosfera (responsável pelo aquecimento global) faz com que os oceanos absorvam mais desse gás, o que faz aumentar a acidez da água. Isto já arruinou 60% dos bancos de corais do planeta.Se continuar ácida matará os corais com efeitos devastadores  para a biodiversidade marinha.

Menos chuvas mais secas:

 
clique para ampliar
 


O aquecimento das águas do Oceano Atlântico alterou o padrao de circulaçao dos ventos, deslocando massa de ar seco para algumas regioes, entre elas a Amazônica.
A mudança impede a formaçao de nuvens, causando escassez de chuvas.

. Para compensar o desmatamento e a extinçao de espécies, gerando espaço para a formaçao de novas vidas;

 
clique para ampliar
 


A fúria dobrada das furaçoes:

As forças dos furaçoes do Golfo do México sao hoje 50% mais fortes e duradouras que há 30 anos atrás. Para cada grau a mais, a fúria dos ventos aumenta 5% .

. Para conscientizar o público de atitudes necessárias com relaçao a extraçao da madeira e ao consumo de papel, subprodutos das árvores. Por exemplo:

 
 

clique para ampliar
 


Ao usar o verso de uma folha de papel durante um mes, 1.000.000 de pessoas (um bairro de Sao Paulo), preservaria uma área de floresta equivalente a 18 campos de futebol (25% do lixo das casas brasileiras é papel subutilizado, só com um risco, uma palavra, impresso de um só lado...);

Sem chuvas, mais fogos nas florestas:

 

clique para ampliar
 


A reduçao dos volumes de chuvas pode chegar a 40% na Península Ibérica dentro
de décadas. Hoje aumentou os incendios nas florestas de Portugal e Espanha.
 Nos Estados Unidos em a ocorrencia de incendio florestal aumenta quatro vezes
 em relaçao a década de 1980.

Motorista:

 

clique para ampliar
 


MOTORISTAS
Cada motorista deveria plantar pelo menos 12 árvores por ano, para compensar a carga poluente emitida por ele neste mesmo período;

Papel reciclado:
Embaixo Agenda anual, interior impresso em papel branco, tamanho 13x18cm, e capa em Papel Reciclado produzido nas Oficinas dos Adolescentes pintado a mao. Pode ser encadernado com espiral ou wyro.  

 

clique para ampliar
 


preferir usar papel reciclado no lugar do papel branco. Cada tonelada de papel reciclado evita a derrubada de 30 árvores e o consumo de 80.000 litros de água.

 
  PREFIRA ÁRVORES NATIVAS
  Detalhe: é preferível plantar árvores nativas da sua regiao. Agindo assim, voce estará também fortalecendo o ecossistema local: desde o solo até os animais, incluindo as próprias árvores existentes.

  AS ÁRVORES DO FUTURO
  Manjoleiros, tipuanas e angicos. Essas sao as espécies mais comuns registradas entre as 300 mil árvores existentes em Curitiba (PR)

Por Chara (Cynthia Frank)
AR, SOMBRA E ÁGUA FRESCA
Por que as florestas sao consideradas os pulmoes do mundo?

 
clique para ampliar
 


Porque cada árvore, além de retirar o gás carbônico de circulaçao, libera oxigenio na fotossíntese. Para processar a energia solar, ela precisa da água, captada no solo pelas raízes. Entao, a folha quebra a molécula da água, separando hidrogenio e oxigenio, e este último vai para a atmosfera.
Segundo o pesquisador Marcos Buckeridge, "a árvore pode ser comparada a um ar-condicionado gigante". Ao transpirar, grande parte da água que ela retirou da terra é "bombeada" para a copa e evapora através das folhas. É isso que traz aquela deliciosa sensaçao de frescor nos locais arborizados.

FOLHAS COMILONAS

 
clique para ampliar

 

O "seqüestro de carbono é um processo altamente sofisticado que ocorre em tres etapas", explica Marcos Buckeridge, pesquisador do departamento de botânica do Instituto de Biociencias da Universidade de Sao Paulo.
Primeira etapa: se refere a assimilaçao de CO2 por meio da fotossíntese, que depende da luz do sol. Ao raiar do dia, cada folha abre milhares de estômatos, espécie de "boquinhas", para sugar da atmosfera o dióxido de carbono.

Segunda etapa: Ainda na folha se inicia a segunda fase, a transformaçao de CO2 em carboidratos ou açúcares (sacarose, glicose, frutose e amido). Na terceira etapa, o amido é transformado em celulose, que, nas plantas, existe em forma de fibras e, nas árvores, concentra-se na madeira. Recentemente, pesquisadores do Instituto de Botânica de Sao Paulo descobriram que certas árvores brasileiras tem o dom especial de retirar da atmosfera grandes quantidades do CO2, um dos maiores viloes do aquecimento global. "Espécies como o jatobá e o guapuruvú tem a capacidade de dobrar a assimilaçao de CO2 a medida que ele vai aumentando. Essas 'faxineiras do ar' fazem mais fotossíntese, transformando o famigerado gás carbônico em alimento para seu próprio sustento, além de estocá-lo em seus troncos, na forma de celulose de madeira", afirma Marcos Buckeridge, professor de botânica da USP e principal responsável pela pesquisa. Outra transformaçao nao menos importante, é a emissao de vapor d'água "Uma única árvore tem a capacidade de borrifar o seu entorno com cerca de 500 litros de água por dia o que torna o ar e os ambientes muito mais frescos e agradáveis".
"Nao podemos abandonar as árvores adultas ou recém-plantadas. Adubar, dar água e atençao é essencial. Quanto mais cuidarmos, mais rápido e mais eficiente será o seqüestro de carbono". Segundo o botânico e pesquisador, árvore bem cuidada hoje significa mais conforto para todos amanha.

A lista das heroínas:


 
Ipe róseo (Tabebuia pentaphylla) Foto Tomé Schmidt

 
Ipe roxo: (Tabebuia impetiginosa). Foto  André Carlos Masini

 
IPÊ AMARELO (Tabebuia chrysotricha). Foto Tomé Schmidt

 
IPE BRANCO (Tabebuia roseo alba) Photo Sharing!

 
Eucalipto (Eucalyptus globulus)

 
Jatobá (Hymenaea courbaril)

 
Pau-jacaré (Piptadenia gonoacantha)

 
Guapuruvú (Schizolobium parahyba)

 
Jacarandá-da-Bahia (Dalbergia nigra)

 
Cambará-do-mato, cambará- guaçu (Gochnatia polymorpha (Less.) Cabrera)

 
Embaúba Cecropia hololeuca Miq.

 

Árvore que retém mais carbono é o eucalipto

 
clique para ampliar
 

EUCALIPTO

A árvore "campea" no combate aos poluentes a quem sao atribuídas as alteraçoes climáticas, de acordo com estudos realizados em tres tipos diferentes de floresta em Portugal, De acordo com dados do professor universitário de Ecologia Florestal Joao Santos Pereira, de Portugal, mediçoes que vem sendo realizadas numa plantaçao de eucaliptos indicam que aquela árvore de crescimento rápido é a que retém da atmosfera mais dióxido de carbono, considerado o principal responsável pelo aquecimento global da atmosfera.
A explicaçao para esta diferença está, segundo os cientistas, no fato de as árvores que crescem mais rapidamente terem uma capacidade superior para reter o dióxido de carbono, que através da fotossíntese das folhas transformam depois em oxigenio.
O resultado efetivo da retençao é obtido através da subtraçao ao total de dióxido de carbono absorvido durante o dia, quando exposta a luz solar, da chamada respiraçao, que a árvore realiza durante a noite, com a ausencia de luz, em que devolve a atmosfera parte do gás poluente retido com a iluminaçao natural.

 
clique para ampliar

 
Ipe-roxo, um guerreiro lindo e perfumado que luta pelo nosso oxigenio. No drama do aquecimento global, o dióxido de carbono é o vilao e a árvore a heroína. Espécies como o ipe-roxo seqüestram o carbono e liberam oxigenio e ainda aliviam a poluiçao visual com flores, que atraem abelhas e pássaros

(Iracy Paulina Revista Claudia - 10/2007)

As árvores sao ótimas aliadas contra o aquecimento global, pois fazem o que os especialistas chamam de seqüestro de dióxido de carbono (CO2), um dos gases responsáveis pelo efeito estufa. Ou seja: elas o "devoram", utilizam-no para se nutrir e, assim, diminuem a poluiçao do ar.

Entre as árvores existem diferenças. "Espécies com madeira mais leve seqüestram menos carbono do que aquelas que sao mais duras e pesadas", explica o engenheiro florestal Jeanicolau Lacerda, da consultoria ambiental paulista KeyAssociados.
"Por isso, uma embaúba de 20 anos, por exemplo, retém apenas a metade do carbono fixado por um ipe-roxo da mesma idade e tamanho", revela.
A embaúba cresce rápido, mas sua madeira é mais porosa.
Enquanto os ipes, campeoes no seqüestro de carbono, levam 15 anos para ficarem frondosos e sao resistentes.

IPE ROXO, ROSA É RESISTENTE
Há vários tipos de ipes roxo; Tabebuia heptaphylla, Tabebuia avellanedae, Tabebuia impetiginosa sao alguns de seus nomes científicos. Na floraçao, sua copa, fica tomada por buques de um rosa-intenso, violáceo - em alguns lugares do país é também chamado de ipe-rosa.
É uma árvore longeva - chega há 60 anos e, em seu hábitat natural, no meio de florestas preservadas, existem exemplares centenários. O engenheiro Solari estima que um ipe que dure em torno de 40 anos seqüestre 2,29 toneladas de CO2 da atmosfera.

CAMBARÁ
 
clique para ampliar

 

OBSERVAÇOES ECOLÓGICAS E OCORRENCIA 
Espécie semidecídua, pioneira, considerada como invasora de áreas degradadas. Características das capoeiras e capoeiroes das florestas estacionais semideciduais e das áreas marginais do cerradao. Ocorre da Bahia até o rio Grande do Sul, incluindo Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, assumindo grande destaque nas formaçoes de solos ácidos e regioes de clima mais ameno. 

Preservar a natureza é preservar a vida!
Árvores do Futuro
Recentemente pesquisadores do Instituto de Botânica de Sao Paulo descobriram que certas árvores brasileiras tem o dom especial de retirar da atmosfera grandes quantidades do CO2, um dos maiores viloes do aquecimento global. "Espécies como o" jatobá.

 

 

e o Guapuruvú

 

 

tem a capacidade de dobrar a assimilaçao de CO2 a medida que ele vai aumentando. Essas 'faxineiras do ar' fazem mais nos ares é apenas uma das missoes das árvores. Outra, nao menos importante, é a emissao de vapor d'água. "Uma". Única árvore tem a capacidade de borrifar
o seu entorno com cerca de 500 litros de água por dia o que torna o ar e os ambientes muito mais frescos e agradáveis. Tanto que um local arborizado chega a ter uma diferença de 10oC a menos do que a temperatura "medida em locais sem árvores", diz Marcos.
Para quem se dedica fulltime aos estudos científicos sobre o comportamento das plantas, numa época de aquecimento global essa constataçao pode fazer toda a diferença. "Nao podemos". abandonar as árvores adultas elas ,devido a fotossíntese, transforma o famigerado gás carbônico em alimento para seu próprio sustento, além de estocá-lo em seus troncos, na forma de "celulose de madeira", afirma Marcos Buckeridge, professor de botânica da USP e principal responsável pela pesquisa.

  AS DEZ ÁRVORES MAIS COMUNS EM SÃO PAULO
  Uma lista das 10 espécies mais ocorrentes seria (com as épocas de plantio das espécies estimadas) Podem ajudar contra o aquecimento global.

 

1. tipuana (Tipuana tipu) - nativa da Bolívia, muito plantada entre 1940 e 1980.

 
clique para ampliar

  2. ficus (Ficus benjamina) - nativa do sudeste asiático, muito plantado pela populaçao a partir de 1990.
 
clique para ampliar

  3. alfeneiro - (Ligustrum Japonicum) nativo do Japao, teve sua época entre 1900 e 1990.
 

clique para ampliar
  4. jerivá - (Syagrus romanzoffiana) - típico das matas originais da Cidade, é plantado desde os tempos coloniais.
 
clique para ampliar


  5. sibipiruna - (Caesalpinia peltophoroides) - nativa da Mata Atlântica do Rio de Janeiro para o norte, plantado desde 1940.
 
clique para ampliar
  6. pau-ferro (Caesalpinia ferrea) - nativo do nordeste do Brasil, é usado em arborizaçao desde o começo do século XX.
 
clique para ampliar
  7. jacarandá-mimoso (Jacaranda mimosaefolia) - nativo da Argentina, plantado desde o começo do século XX.
 
clique para ampliar

  8. ipe-de-El Salvador (Tabebuia heterophylla) - nativo da América Central, bastante plantado  nos últimos 30 anos.
 
clique para ampliar

  9. resedá (Lagerstroemia indica) - nativo do sudeste asiático, plantado desde o segundo quartel do século XX.
 
clique para ampliar

  10. quaresmeira (Tibouchina granulosa) - nativa da Serra do Mar, plantado desde a segunda metade do século XX. 
 
clique para ampliar
 


Nao basta plantar, é preciso cuidar...

 

Acompanhe a muda que voce plantou por, pelo menos, dois anos!
Verifique a necessidade de água, a saúde da planta, controle algum ataque de insetos, adube... A muda é como uma criança que necessita de apoio até que possa se desenvolver sozinha.

 
clique para ampliar
   
  Início
 
 
 
evergreenplanet © 2009 Desenvolvimento: E2SI